quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Fiéis da Assembleia de Deus expõe Bíblia escrita à mão

Por um ano os fiéis da AD de uma cidade ao noroeste do estado escreveram à mão todos os livros bíblicos
Os fiéis da igreja Assembleia de Deus em Altônia, no Paraná, aceitaram o desafio proposto pelo pastor Vicente Mariano de escreverem juntos uma cópia da Bíblia Sagrada.
A campanha foi lançada em comemoração aos 50 anos da igreja e demorou um ano para ser concluída.
A Bíblia escrita a mão pelos fiéis tem mais de 3.000 páginas e aproximadamente três metros de comprimento. Além de comemorar o aniversário da igreja, o projeto tinha como objetivo estimular a leitura da Palavra entre os membros da igreja.
“É muito difícil fazer com que as pessoas leiam a Bíblia de uma ponta à outra, por isso o projeto também serviu para aproximar as pessoas da palavra sagrada e fazer com que elas se apaixonassem por aquilo que estavam escrevendo”, disse Mariano.
O pastor conseguiu incentivar 132 pessoas que passaram a copiar à mão todos os 66 livros da Bíblia. Famílias inteiras aceitaram o desafio, como foi o caso do pintor Odair José Moreira que chamou sua esposa e filhos para escrever a Bíblia todos os dias.
“A gente não tem estudo, mas foi muito gratificante participar porque a minha esposa e filhos também colaboraram”, disse ele ao portal G1.
A igreja não fez restrições e nem impôs regras para padronizar a letra ou o tamanho dela, apenas conferiu, no final, se os números dos capítulos e versículos estavam corretos.
Pronta, a Bíblia à mão ficará exposta na igreja em Altônia e depois será enviada para a biblioteca da Faculdade de Administração, Ciência
s, Educação e Letras (FACEL) que fica em Curitiba. O pastor acredita que esses livros serão importantes para as gerações futuras diante dessa revolução digital.
“Daqui a 20 anos as crianças que nasceram hoje vão estar na faculdade e não vão mais escrever nada. Com esta bíblia elas terão noção de escrita e poderão realizar pesquisas em cima do que foi produzido”, disse Mariano.
A fiel mais nova que participou desse projeto, Amanda Rithielu, 16 anos, também acredita nisso e comemora poder participar dessa proposta. “Saber que Deus um dia uniu e deu a missão para cada homem escrever essas palavras, e agora sou eu que vou passar os ensinamentos para outras gerações, é um orgulho”.

0 comentários:

Postar um comentário