domingo, 16 de dezembro de 2012

Se alguém bater na sua cara, você oferece o outro lado mesmo?


Essa ideia de oferecer o outro lado da face (Mt 5.39) passa para todo não crente que o evangélico é um bobalhão, ingênuo e sem o direito de se defender. Muitos do próprio meio cristão escondem sua covardia atrás do aludido versículo, certamente mal interpretado por eles e pelos que os cercam. Perdem o direito de defender sua família, e se demonstrar algum tipo de reação a alguma coisa errada, eles são interpretados como "exaltados", "carnais", etc.


Se o versículo acima deve ser enxergado ao pé da letra de forma que até seus direitos são anulados para "oferecer a outra face", o que dizer de outro versículo do mesmo trecho bíblico, que diz que "se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti" (Mt 5.29)?

Não acredito que nenhum irmão em sã consciência vá ensinar a automutilação. Nosso corpo é templo de Deus e não podemos destruí-lo (1 Co 3.17; 6.19). Portanto, considerar o versículo de Mateus 5.29 ao pé da letra se contradiz com o que Paulo ensina aos Coríntios sobre o templo de Deus, que somos nós.

Então, por que ter uma interpretação tão comum a Mateus 5.39? Pretexto para humildade? Alguém ainda poderia contestar, dizendo: "-Mas irmão, nós devemos ser mansos... Veja o exemplo de Jesus... Suportou tudo calado...". Mas quem lê a Bíblia sabe que o Senhor Jesus não se calou diante de todas as situações adversas que Ele conviveu.

Quando presenciava as coisas errôneas do povo, a hipocrisia de escribas e fariseus e os vendilhões no templo, Ele não argumentou humildade ou mansidão, e não deixou de desmascarar os falsos religiosos de sua época. Se gravarmos em nossa mente a imagem de um Jesus passivo a tudo, acharemos um absurdo ver nosso Mestre derrubando mesas ao expulsar os ladrões que vendiam de tudo na chamada Casa de Oração.

Não estou incentivando ninguém a tomar decisões de maneira abrutalhada, ignorante, nem estou fazendo apologia da violência. Fuja disso tudo. Fazer as coisas de cabeça quente é fazer besteira para se arrepender depois. Mas que cada cristão venha a refletir (refletir, e não fazer exigentes greves) sobre os seus direitos com a sociedade.

Somos cobrados em nossos deveres, mas, em relação aos nossos direitos, apenas ouvimos que o crente "deve ser humilde". Isso nos causa indignação, pois se queremos aquilo que é certo, por que deveríamos aceitar o que é errado?

O fato de discernirmos que o Salmo 91 nos garante a proteção sob o esconderijo do Altíssimo não impede que fechemos a porta bem trancada antes de dormir. Aprendemos também que temos a proteção de Deus, mas sabemos que não devemos tentá-Lo.

O mesmo se dá em "oferecer a outra face". Aprendemos nesse versículo que devemos ter um princípio de não querer se "vingar" ou ficar desejando mal ao nosso próximo, mas isso não significa abaixar a cabeça e aceitar a injustiça, fingindo uma falsa humildade e amaldiçoando às escondidas. Como exemplo do nosso Senhor Jesus, o cristão deve ser sincero, honesto, reto e santo.

Que sejamos simples, mas também prudentes (Mt 10.16).


"Porque Deus não nos deu o espírito de covardia, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação". (II Timóteo 1.7)


0 comentários:

Postar um comentário