quinta-feira, 19 de abril de 2012

A crença em Deus aumenta com a idade e é maior entre os idosos, mostra pesquisa
Estudo revela que Filipinas é o país com mais crentes e o Leste Europeu concentra mais ateus

A crença em Deus é maior entre os idosos e aumenta com a idade, disseram os pesquisadores da Universidade de Chicago durante a publicação de uma nova pesquisa. O possível motivo apontado para explicar isso é a crescente percepção de que a morte está se aproximando.

Compilando dados de pesquisas realizadas em 1991, 1998 e 2008, em 30 países de diversos continentes, o relatório reuniu dados do Programa Internacional de Pesquisa Social, que reúne diferentes organizações de pesquisa.

O Centro Nacional de Pesquisa de Opinião, da Universidade de Chicago, que coordenou o estudo, revelou que, em média, 43% da pessoa acima de 68 anos dizem estar certos de que Deus existe. Em comparação, uma média de 23% das pessoas com idades abaixo de 27 eram crentes firmes em Deus.

“Olhando para as diferenças entre grupos etários, o maior aumento na crença em Deus ocorre a partir dos 58 anos de idade. Isto sugere que a fé em Deus é especialmente suscetível de aumento entre os grupos mais idosos, talvez seja uma resposta à crescente expectativa da morte”, disse em comunicado o coordenador do estudo, Tom W. Smith.

As pessoas foram questionadas sobre como classificariam suas crenças, indo do ateísmo até uma forte crença em Deus. Também foram perguntadas sobre como as crenças mudaram ao longo de suas vidas, e sua atitude em resposta à noção de que Deus está preocupado com eles.

Ao longo das últimas duas décadas, a fé em Deus diminuiu na maioria dos países, mas os declínios foram modestos, disse Smith.
Os países onde há pessoas mais dizem acreditar em Deus são os que possuem forte presença católica, especialmente nações em desenvolvimento. A crença foi maior nas Filipinas, de maioria católica, chegando a 94% da população, em seguida vêm os chilenos (88%). O menor índice está na Europa, com os alemães da antiga Alemanha Oriental (13%) e os tchecos (20%).
Nos Estados Unidos, 81% das pessoas entrevistadas disseram que sempre acreditaram em Deus, e 68% defendem a ideia que Deus está preocupado com as pessoas de uma forma pessoal.

Os países com maior índice de ateus são os da Escandinávia e os membros do antigo bloco comunista, no Leste Europeu. A única exceção dessa região é a Polônia. As maiores taxas de ateus são encontradas entre os cidadãos da antiga Alemanha Oriental (59%).
Israel, Eslovênia e Rússia são as três exceções na tendência de queda generalizada na fé em Deus apontada pela pesquisa.
Os países pesquisados foram: Austrália, Áustria, Chile, Chipre, República Checa, Dinamarca, França, Alemanha, Grã-Bretanha, Hungria, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Letônia, Países Baixos, Nova Zelândia, Irlanda do Norte, Noruega, Filipinas, Polônia, Portugal, Rússia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça e Estados Unidos.

Traduzido e adaptado de Reuters



0 comentários:

Postar um comentário