segunda-feira, 19 de março de 2012

Túmulo anglo-saxão pode marcar passagem do paganismo ao cristianismo
Um esqueleto foi encontrado com uma cruz de ouro que representa a fé cristã, mas com um saco de pedras preciosas que representa a crença na vida após a morte

Um túmulo encontrado perto de Cambridge, na Inglaterra, pode representar a fase onde o paganismo anglo-saxão e o cristianismo começaram a se fundir, pois o esqueleto encontrado traz referências das duas crenças.
Trata-se de um esqueleto de uma adolescente, que provavelmente tinha 16 anos, ela foi enterrada em uma cama de madeira com uma cruz de ouro no peito. Fora isso também foi encontrado pedras preciosas e semipreciosas junto aos restos mortais, o que caracteriza a crença na vida após a morte.
A pesquisadora Alison Dickens disse que há apenas outro exemplo de enterro do tipo na Inglaterra. “Acreditamos que há apenas outro exemplo de um enterro com cama de madeira e cruz no peitoral, em Ixworth, Suffolk”. Cientistas dizem que essa combinação de elementos cristãos e pagãos é realmente rara.
Tal descoberta fez com que surgisse algumas dúvidas em relação o túmulo provavelmente feio no século 7 d.C. quando o cristianismo começou a ser introduzido entre os pagãos anglo-saxões. As joias encontradas levantam outra polêmica: se a menina era de família nobre será que o cristianismo começou a ganhar destaque entre a nobreza e só depois foi chegando até as camadas mais pobres?
Não há repostas para essa indagação, mas os estudiosos garantem que a qualidade das joias é comparável ao tesouro real anglo-saxão descoberto em Sutton Hoo, em Suffolk. Agora os cientistas estão tentando encontrar alguma ligação entre esse esqueleto com outros três que foram encontrados nas proximidades para saber se eles caracterizam a mudança de religião entre a pagã e a cristã.

Com informações Hypescience.com

0 comentários:

Postar um comentário